Consumo de café da manhã em hotéis por não hóspedes cresceu em 700% em JP

    0

    A mudança na legislação da empregada doméstica e a vida corrida no dia a dia contribuíram com a maior presença do fluxo de clientes (não hóspedes) nos diversos meios de hospedagens de João Pessoa. Este público chega a pagar quase R$ 30,00 por um café da manhã. Mesmo assim, a expansão em alguns locais alcançou 700% em cerca de 15 anos. No geral são hotéis, pousadas e flats que abrem as portas para o público externo durante a semana. O serviço existe há alguns anos, mas a novidade é que o número de adeptos deste consumo nas primeiras horas do dia vem crescendo e já incrementa de 10% a 15% a receita mensal destes empreendimentos. A variedade do cardápio é indiscutível. Inclui frios, pães, bolos, frutas e sucos até carnes, macaxeiras e ovos.

    O proprietário do Palace Grill Restaurante, do Tambaú Flat, Felippe Ferreira de Araújo, no Cabo Branco, afirmou que em 1997, quando o empreendimento foi criado, o número diário de café da manhã servido aos “passantes” (não hóspede) era cerca de 15 e hoje já chega a 120 só no domingo, ou seja, aumento de 700% em 17 anos. Segundo ele, a presença deste público se tornou tão marcante que houve mudança no cardápio do restaurante para atender esta demanda em alta. “No início, como a presença maior era dos hóspedes que vinham das regiões Sul e Sudeste, tínhamos um café da manhã mais leve com iogurtes, pães, frutas e sucos. Mas com a presença cada vez maior do paraibano, incrementamos o menu ao gosto nordestino. Então incluímos pratos quentes como macaxeira, cuscuz e carnes”, frisou Felippe Ferreira, que agora oferece as duas variedades de café da manhã.

    No Palace Grill Restaurante, o café da manhã é aberto ao público de segunda-feira a sexta-feira ao preço de R$ 15,00, e aos fins de semana e feriados é cobrado R$ 17,00 por pessoa. E justamente nos dias em que o desjejum é mais caro, há maior presença do público externo. “Comparado aos dias de semana, no domingo o fluxo aumenta em 300%. São pessoas que vão à missa, praia ou famílias que antes de passear para algum lugar tomam o café da manhã no Palace”, contou.

    No Verdegreen Hotel, o gerente de contas, Filipe Lucena, afirmou que no Citron Restaurante Bar a presença de passantes em busca por café da manhã também é visível e representa 5% da receita mensal do restaurante. Segundo ele, fica difícil dizer o dia de maior fluxo. “Desde a inauguração do hotel (2008) até hoje o movimento cresceu muito. Não há um dia certo com maior demanda.

    Dentre os passantes, por exemplo, temos alguns clientes que tomam café da manhã no hotel pelo menos três vezes durante a semana. Outros têm apenas a rotina de apreciar esta refeição fora de casa. No Dia dos Pais, tivemos 33 pessoas tomando café da manhã, fora os hóspedes”, lembrou. No Citron Restaurante Bar é cobrado preço único (R$ 28,00 por pessoa) pelo café da manhã, que é oferecido todos os dias das 6h30 às 9h30.

    No JR Hotel, centro de João Pessoa, a demanda também é grande. Os clientes começam a chegar às 6h e o café da manhã é servido até as 9h todos os dias da semana ao preço de R$ 14,00 por pessoa.

    Colaboração Jornal da Paraíba

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]