Comerciantes temem redução nas vendas devido transtornos do túnel da Lagoa

0

Depois dos rompimentos no asfalto da Avenida Padre Azevedo, no Centro de João Pessoa, provocados pelas fortes pancadas de chuva que caíram sobre a cidade nesta segunda-feira (30) e também ligadas aos desdobramentos da obra do túnel da Lagoa, diversos donos e funcionários de empreendimentos comerciais próximos do local reclamaram da insegurança que a situação provoca.

Eles receiam, entre outras coisas, que a erosão avance e atinja as lojas e que inviabilize o fluxo de veículos, diminuindo consideravelmente o número de clientes.

Marcelos Santos, gerente da loja Nohan Festas, que fica em frente ao local interditado na Padre Azevedo após o incidente, diz que presenciou os outros dois grandes rompimentos.

“É a terceira vez. A primeira foi leve, a segunda foi um absurdo e essa aí…”, coloca ele, mostrando em seguida o balde dos peixes ainda vivos, pescados no momento em que a água do túnel da Lagoa rompeu o asfalto, abrindo novamente uma cratera no mesmo ponto da avenida que havia erodido antes.

Ele reforçou o temor de que a erosão atinja a sua loja e as outras e cita o prejuízo que a interdição da avenida acarreta, visto que afasta os potenciais clientes.

“Não só a minha, todas essas lojas daqui (da região), porque no momento que a água vai escavando por dentro, por cima ta bonitinho, agora por baixo…. Tem de tomar alguma providência, do jeito que ta aí… E o prejuízo que a gente vai ficar? Porque (a avenida) vai ficar um mês interditada!”, reclamou.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here