Coligação de Cássio divulga nota de repúdio contra ação da Polícia Militar

    0

    Em nota de repúdio divulgada no final da tarde deste sábado, 25, a Coligação A Vontade do Povo faz uma grave denúncia: o atual Governo do Estado usa a Polícia Militar como instrumento de campanha.

    De acordo com a nota da campanha do candidato a governador Cássio Cunha Lima (PSDB), um factoide arquitetado pela Coligação A Força do Trabalho, que tem o atual governador Ricardo Coutinho (PSB) como candidato à reeleição, envolvendo o núcleo jurídico da campanha tucana, exibiu o nível de desespero da candidatura oficial.

     

    Veja a nota, na íntegra:

    “A Coligação A Vontade do Povo vem a público externar a sua repulsa ao ato antidemocrático de abuso de poder e a tentativa de criação de factóide por parte da coligação do governador Ricardo Coutinho, motivado por desespero político na véspera da eleição.

    Na manhã deste sábado (25) fomos surpreendidos por homens da Polícia Militar e Civil que tentaram entrar de forma arbitrária em nosso núcleo de produção e de atividade jurídica, localizado às margens da BR 230, em Cabedelo, motivados por uma suposta denúncia anônima. Tudo tendo como plateia dezenas de cabos eleitorais governistas e até de secretários de Estado.

    Sem portar nenhuma autorização judicial para entrar ao local, os policiais tentaram invadir o imóvel. Depois decidiram cercar o prédio, passando a abordar arbitrariamente todos os carros adesivados com propaganda de Cássio Cunha Lima que passaram pela rua. Advogados e funcionários da produtora foram constrangidos, coagidos e até agredidos verbalmente, com palavras chulas e grosseiras.

    O fato foi denunciado em plenário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), pelo coordenador jurídico da coligação A Vontade do Povo, Harrison Targino, durante sessão extraordinária deste sábado. Imediatamente o presidente da Corte, desembargador Saulo Benevides, acionou o juiz da Comarca de Cabedelo, Paulo Oliveira Lima, acompanhado da promotora Anne Emanuelle Malheiros Costa Y Plá Trevas para verificarem a tentativa de abuso de poder por parte da polícia. 

    Já no local, o magistrado determinou que os agentes da polícia civil que estavam de espreita e os policiais militares que tentaram invadir o comitê sem mandado fossem encaminhados a Polícia Federal para prestar esclarecimentos e, em seguida, ordenou que os agentes da PF retirassem do local todos os cabos eleitorais da coligação do governador e seus secretários.

    Diante desses graves episódios, a Coligação A Vontade do Povo vai entrar com representação junto à Procuradoria Regional Eleitoral pedindo afastamento dos policiais envolvidos e, sobretudo, exigir apuração rigorosa do uso das polícias militar e civil em favor da candidatura governista.

    Lembramos que essa não foi a primeira vez que a polícia foi usada para beneficiar a campanha de Ricardo Coutinho. Vários fatos já foram denunciados à Justiça Eleitoral, inclusive por parte de magistrados que tiveram que recorrer à Polícia Federal para garantir a equidade do pleito em diversas cidades do Estado.

    Nunca se viu  algo igual na Paraíba. A utilização da força pública em favor de uma candidatura para agredir profissionais, constranger a coligação e tentar criar um fato político só nos lembra os atos cometidos na ditadura. Não podemos aceitar tanto autoritarismo, uso da máquina pública e abuso de poder de um governo que não respeita pessoas, que tenta desmoralizar Poderes, Instituições e trabalhadores, que não dialoga e não aceita o contraditório”.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]