Cleyton nega crise e fala em vencer “final” contra o Fortaleza para superar má fase

0

Na briga pelo acesso à Série B de 2018, o Botafogo-PB investiu pesado e montou um elenco encorpado para a disputa da terceira divisão nacional desta temporada. Iniciado o segundo turno da primeira fase, o time vive o seu momento mais turbulento na competição. No entanto, apesar de vir de três derrotas consecutivas, o Belo se mantém no G-4 do Grupo A e, pela 11ª rodada, vai ter pela frente o segundo colocado do grupo, o Fortaleza, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. Sobre o confronto, marcado para as 21h desta sexta-feira, os jogadores botafoguenses estão o tratando como uma final mesmo em tempos de instabilidade.

Para o meia Cleyton, a situação é bem clara. Num campeonato equilibrado como o Brasileiro da Série C, vencer o Tricolor do Pici é fundamental para começar a compensar o prejuízo dos últimos tropeços.

– Não queríamos perder a gordurinha que tínhamos. Esses resultados adversos não poderiam ter acontecido num campeonato tão difícil quanto a Série C. Mas a gente está tranquilo, mantendo o foco e a responsabilidade. É lógico que a pressão aumenta, mas os jogadores são experientes e sabem absorver isso. Precisamos vencer o Fortaleza. Estamos tratando o jogo com uma final – declarou.

A fase é inédita para o time do Botafogo desde que subiu para a Série C, em 2013. Nos últimos cinco anos, o time não havia perdido três vezes seguidas. Para piorar a situação, além do duelo contra o Leão, o Belo tem uma sequência complicada, já que, após enfrentar o Tricolor, vai ter dois jogos fora de casa: contra o líder CSA, em Alagoas, e contra o Salgueiro, no interior de Pernambuco.

Porém, para o meia alvinegro e dono da camisa 22, o elenco botafoguense já estava atento a esse tipo de situação negativa.

– O sinal de alerta está ligado desde a primeira rodada. O grupo é muito unido. No futebol, nem sempre a fase é boa. Infelizmente, temos convivido com essa situação de sair do G-4, por causa de erros nossos, isso a gente tem que assumir, e também erros de arbitragem. Agora é pensar no futuro, e o futuro é o Fortaleza – disse Cleyton.

Cleyton ainda aproveitou para sair em defesa do goleiro Michel Alves, criticado pela torcida por conta de suas atuações na campanha da Série C e, principalmente, após o lance que gerou o gol do Cuiabá no último domingo. Afirmando a liderança do camisa 1 alvinegro, Cleyton tratou de jogar a responsabilidade do lance da penalidade – que acarretou a derrota por 1 a 0 – para a arbitragem.

– Michel é um jogador muito importante para o grupo, é um grande profissional e tem muita experiência. Ele sabe absorver as críticas e tem total confiança do elenco. No lance do pênalti contra o Cuiabá, se houve falha, foi da arbitragem. O jogador colocou as pernas procurando o contato e caiu, cavando a falta – finalizou.

Por causa da controvérsia no lance que resultou no triunfo dourado, o Botafogo-PB emitiu uma nota oficial questionando o desempenho dos árbitros nos jogos do Belo nesta Série C.

Nesta sexta-feira, o quarto colocado Belo recebe o Tricolor do Pici, que está na segunda posição do Grupo A. A partida no Estádio Almeidão acontece às 21h e vai contar apenas com a torcida do Botafogo. Por causa de acordo entre as diretorias dos clubes paraibano e cearense, ficou acordado que cada um teria o direito de mandar os seus jogos com torcida única. Tanto é que na segunda rodada, no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, o Leão venceu o Botafogo por 1 a 0 com apenas tricolores nas arquibancadas. As informações são do G1.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here