Cientista político diz que tendência na política atual é ter mais individualismo e menos ideologia

    0

    O prazo para novas filiações terminou no primeiro semestre de 2015, e nesse momento os partidos buscam alianças para o pleito que está por vir. Nessa conjuntura, as plataformas e ideologias partidárias são escanteadas, abrindo espaço para uma política individualista, voltadas para interesses pessoais e sem compromisso com o eleitor.

    De acordo com o cientista político José Henrique Artigas, “os políticos mudam muito rapidamente de interesses e ideologias após as eleições, divergindo das propostas apresentadas em campanha, o que faz com que o eleitor perca a representatividade almejada com o voto”.

    Esse quadro também não é diferente em relação aos partidos, que se tornaram dispersos e, de acordo com o cientista, “se mostram voltados as atividades eleitorais, trocando o apoio por interesses clientelistas, que não se coadunam com as plataformas, o que cria um individualismo muito grande na legenda”.

    E só quem perde são os próprios partidos. “Essa dispersão partidária muito grande faz com que os partidos tenham pouca representatividade no Congresso Nacional”, concluiu.

    Por Cristiane Cavalcante, especial para o Paraíba Já

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here