Caso Ferreira Costa: deputado critica Cartaxo por ‘desprezar’ 500 empregos: “é no mínimo imoral”
Deputado Raoni Mendes: “é no mínimo imoral”

O deputado estadual Raoni Mendes (DEM) criticou a decisão da Prefeitura de João Pessoa em embargar a construção da filial do Home Center Ferreira Costa na Capital. A empresa pretende mudança para o Rio Grande do Norte, o que deixa de ofertar em 500 empregos para a população da Paraíba. A obra foi paralisada depois que o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) decidiu cassar as licenças anteriormente concedidas.

Leia mais sobre o Caso Ferreira Costa:

Moradores fazem abaixo assinado para ajuizar ação no MPF

Leo critica Cartaxo e propõe comissão da CMJP para apurar embargo da obra

Vereador acusa Cartaxo de travar geração de empregos e lembra Mangabeira Shopping; ouça

Ricardo tentará reverter desistência de grupo empresarial de se instalar em JP após embargo da PMJP

Empresa desiste de se instalar em JP e moradores culpam PMJP e Aeroclube; veja vídeo

“Em uma situação de crise econômica pela qual enfrentamos no país e nos Estados, você permitir que a nossa Capital deixe de ofertar ao menos 500 empregos para a nossa população, é no mínimo imoral. O governador Ricardo Coutinho em uma demonstração de preocupação vai tentar reverter o problema e conversar com os empresários, em uma reunião, para juntos encontrarem uma saída e a permanência do empreendimento. Nós esperamos que a Prefeitura de João Pessoa reveja o embargo dessa construção para que a nossa cidade possa crescer”.

Na última sexta-feira (1º), o governador Ricardo Coutinho PSB) anunciou que vai convidar os representantes do Home Center Ferreira Costa para saber os reais motivos que teriam levado a empresa a desistir de se instalar na cidade de João Pessoa para ser instalada em Natal.

Raoni Mendes destacou ainda que apesar dos empecilhos criados pela Prefeitura da Capital, a vinda da empresa para a Paraíba foi uma conquista do Governo do Estado, que teria estimulado a chegada da Ferreira Costa.

Ação civil pública

Moradores do bairro do Bessa estão realizando um abaixo-assinado para ingressar com uma ação civil pública no Ministério Público Federal para que o Aeroclube da Paraíba apresente o plano básico de zona proteção de ruídos, como preconiza portaria da Aeronáutica.

Segundo o líder comunitário Dema Macelo, o documento já conta com cerca de mil assinaturas. Ele contou que a iniciativa surgiu após a desistência do grupo Ferreira Costa de se instalar no bairro pelo embargo da prefeitura, motivado supostamente por pressão de pessoas importante do Aeroclube.

Comente

Antares

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here