Câmara de João Pessoa celebra o Dia do Artista Plástico e abre o XII Favi-PB

    0

    A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou, na tarde desta sexta-feira (8), uma sessão solene para comemorar o Dia Nacional do Artista Plástico, celebrado anualmente em 8 de maio. A homenagem, proposta pelo presidente da Casa, vereador Durval Ferreira (PP), integrou a programação de abertura do XII Festival de Artes Visuais da Paraíba (Favi-PB), que acontece de 08 a 31 de maio.  Durante a cerimônia, o parlamentar homenageou, in memoriam, o artista José Carlos Serrano Lyra, o J. Lyra, com a Comenda Cultural Ariano Suassuna.

    “É com muita satisfação que abrimos, nesta tarde, a programação de mais uma edição do Favi-PB, que figura como evento oficial do calendário turístico e cultural da nossa Capital paraibana a cada mês de maio. Este ano, o tema do Festival é “Cabo Branco: Olhar do Artista”, propondo uma perspectiva artística acerca desse que é o principal cartão-postal de nosso Estado, o Farol do Cabo Branco, e seu entorno. O Favi 2015 também homenageia de maneira póstuma o pintor, fotógrafo e escultor J. Lyra, um dos fundadores do Centro de Artes Plásticas da Paraíba e um atuante artista no nosso Estado. Esta sessão solene homenageia esse artista estendendo nosso respeito também a todos os outros, que devem ser cotidianamente valorizados. Eles são, assim como o Cabo Branco, um patrimônio vivo do nosso Estado, presenteando-nos com sua criatividade e sensibilidade a cada registro da realidade que nos cerca”, discursou o presidente Durval.

    A presidente da Associart-PB, Ana Garcia, agradeceu o apoio da CMJP na realização do Festival e enfatizou a importância da Casa Napoleão Laureano incentivar o movimento artístico de João Pessoa. “Agradecemos a esta Casa por, há muitos anos, apoiar na realização do Favi e contribuir com a divulgação do trabalho de nossos artistas. Este ano, o nosso Festival homenageia um artista que se destacou pela fundação do Centro de Artes Plásticas da Paraíba. J. Lyra sempre contribuiu como o movimento artístico de nossa cidade. Não podemos deixar de ponderar que a união dos artistas possibilita o crescimento do movimento artístico de nossa terra. A troca de experiência engrandece. Parabéns a todos nós”, ponderou Ana Garcia.

    A presidente da Empresa Paraibana de Turismo (PbTur), Ruth Avelino, destacou que os agentes de turismo sempre divulgam seus destinos turísticos enfatizando o movimento artístico desse destino. “É motivo de orgulho para PbTur tê-los como referência das artes e da cultura de nossa Capital. Artistas, parabéns pela passagem do seu dia”, declarou. Já o vereador Fuba, que secretariou os trabalhos, falou que pouco conheceu do artista homenageado, mas que sempre reconheceu em seu trabalho grande expressão artística.

    Uma das filhas do homenageado, Maria das Graças Lyra, recebeu a comenda que homenageou J. Lyra. Um de seus filhos, Rubens Pinto Lyra, discursou em agradecimento à homenagem.  Ele fez um breve relato da vida de seu pai, sempre enfatizando sua relação com a família. “Meu pai tornou-se pessoense por adoção e nesta terra decidiu formar sua família. Comerciante honesto e artista celebrado por seus pares, que venceu na vida com retidão e responsabilidade. Com ele aprendemos, eu e meus irmãos, os melhores preceitos que norteiam nossas vidas. Sinto-me honrado em receber esta homenagem. Agradeço a Câmara e estendo a todos os que se fizeram presentes, nesta Casa, para celebrar este momento”, agradeceu.

    Também prestigiaram a sessão: o deputado estadual Janduhy Carneiro (PTN), a chefe da divisão de Artes Plásticas da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Michele Almeida; outros familiares do homenageado; amigos e artistas. A solenidade contou ainda com a participação do coral Antônio Leite de Figueiredo, regido pela maestrina Socorro Estrela, que apresentou o Hino Nacional, o Hino Oficial da Paraíba e a canção “Pétalas” de autoria dos compositores Alceu Valença e Herbert Azul.

    Perfil do homenageado

    José Lyra é natural de Vila Nova (RN), nasceu em 1912 e faleceu em João Pessoa em 1983. Foi pintor e fotógrafo autodidata e um dos artistas plásticos mais atuantes na Capital, a partir dos anos 1940. Mudou-se para João Pessoa, em 1932, atuando como fotógrafo e em seu ateliê de fotografia e de pintura (na rua Peregrino de Carvalho, vizinho ao antigo Cine Rex), recebia importantes personalidades da sociedade paraibana que encomendavam retratos. Este local também era ponto de encontro de artistas, quando lá foi fundado o Centro de Artes Plásticas da Paraíba (CAP), em 1946. Esta foi a primeira experiência coletiva de artistas na Paraíba: escola e ateliê voltados para o ensino das artes plásticas no Estado.

    José Lyra junto a outros artistas plásticos, como Olívio Pinto, Pinto Serrano e Hermano José, foram responsáveis pela modernização tardia das artes plásticas na Paraíba, principalmente entre 1940 e 1950, com as primeiras tentativas de ruptura com o academismo sem, contudo, deixarem alguns deles, a tradição da pintura da cena urbana e marítima, suas contribuições mais importantes à História da Arte na Paraíba.

    O Favi e sua programação

    O Festival de Artes Visuais da Paraíba (Favi-PB) é uma iniciativa da Associação de Artistas Plásticos da Paraíba (Associart-PB), e, este ano, em parceria com A Fundação Casa de José Américo (FCJA) traz o tema “Cabo Branco: Olhar do Artista”, para registrar a preocupação dos pessoenses com a “erosão da barreira”, o ponto turístico da cidade, situado no Ponto mais Oriental das Américas. O Festival também homenageará o artista José Carlos Lyra (in memoriam).

    A exposição fotográfica “José Américo e o Cabo Branco”, será aberta neste sábado (9), na FCJA, após a caminhada da Associart e o Grupo Amigos da Barreira, que iniciará às 7h, do Girador da Av. Cabo Branco à Fundação.  A mostra ficará aberta ao público até o dia 22 de maio, na Sala de Exposições da FCJA. Os artistas participantes são Ana Garcia, Ana Lúcia Pinto, Ana Viana, Célia Gondim, Célia Romeiro, Evanice Santos, Fernanda Rolim, Maurílio Estrela, Marizete Lacerda, Marletti Assis, Nadja Anjos, Percy Fragoso, Zélia Pessoa e artistas convidados: Dadá Venceslau, Molina e Ilson Moraes.

    Palestra e documentário

    Seguindo a programação do festival, no dia 19 de maio, às15h30, no “Cine O Homem de Areia”, na FCJA, será exibido o documentário “A vida iluminada de Hermano José”, seguido de uma conversação com a escritora e pintora Irismar Fernandes de Andrade. Após, às 16h30, haverá apresentação do filme “Duas vezes não se faz”, de Marcos Vilar.

    Entre os dia 21 a 28 de maio acontece a oficina de aquarela com o artista Hector Molina, sempre às 9h, no “Atelier 3”, no bairro de Miramar. Já do dia 12 ao dia 31 de maio haverá a exposição coletiva “O Olhar do Artista”, no Centro Cultural São Francisco, na sala Via Sacra, de segunda à sexta-feira, sempre das 9h às 17h, com a participação dos seguintes artistas: Ana Garcia, Ana Lúcia Pinto, Ana Viana, Celia Gondim, Célia Romeiro, Evanice Santos, Marletti Assis, Nadja Anjos, Percy Fragoso; Dadá Venceslau e Ilson Moraes como convidados.

     

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here