Berg Lima prometeu que empresário “ia crescer” caso continuasse pagando propina

O prefeito afastado de Bayeux foi preso em flagrante pelos crimes de corrupção passiva e peculato

0

O prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima (Podemos), prometeu ao empresário João Paulino que ele teria grandes possibilidades de crescer dentro de Bayeux caso ele continuasse contribundo com o pagamento de propinas.

A informação consta no depoimento que o empresário deu à Polícia. Ele relata ainda que Berg disse a ele que tinha um projeto de terceirizar o Restaurante Popular de Bayeux e por isso prometeu que manter os “negócios” faria o empresário crescer na cidade.

Berg Lima foi preso após operação conjunta do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Polícia Civil da Paraíba pelos crimes de corrupção passiva e peculato.

O prefeito de Bayeux foi flagrado no escritório de um restaurante recebendo R$ 3,5 mil de um fornecedor da prefeitura. A ação foi filmada e, o suposto dinheiro de propina, escaneado. Segundo denúncia do empresário que buscou as autoridades, para concretizar o empenho da prefeitura com ele, Berg exigia uma porcentagem do dinheiro.

Na noite desta quinta, o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB) determinou a prisão preventiva do prefeito de Bayeux. O juiz Aluízio Bezerra, responsável pela audiência de custódia do Berg Lima, determinou também que ele fosse afastado do cargo e que mandados de busca e apreensão fossem realizados na casa do gestor e na Prefeitura de Bayeux nesta quinta-feira (6).

Pena de 24 anos

De acordo o delegado Lucas Sá, responsável pelas investigações, não há suspeita de envolvimento de outras pessoas no esquema. Pelos crimes, Berg Lima pode ser condenado a até 24 anos de prisão.

Já o empresário que filmou o pagamento da suposta propina ao prefeito de Bayeux foi um colaborador premiado e era “vítima” das “condutas” do gestor, segundo afirmou o delegado. “Todas as negociações tratativas, todos os valores eram pagos diretamente ao prefeito, em espécie e em mãos”, explicou o delegado.

Ainda de acordo com Lucas Sá, o empresário não receberia os valores devidos a ele se não pagasse a suposta propina solicitada pelo prefeito. “Então não existia outra conduta pra ele. Ou pagava a propina ou ficava sem receber e fechada suas empresas. Ele preferiu pagar, mas comunicar os fatos à polícia e possibilitar, então, a prisão do prefeito”, disse.

Defesa do prefeito de Bayeux

A assessoria de imprensa de Berg Lima enviou uma nota à imprensa, na qual ele diz estar sendo “vítima de uma armação política”, e que o prefeito confia na Justiça e vai esclarecer os fatos. Segundo a nota, o prefeito de Bayeux afirma que não praticou ato ilegal contra o povo e contra a cidade. A defesa de Berg informou que vai pedir um habeas corpus.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here