Barbosa relembra briga e chama deputado de “Mãe Dinah” da política

    3

    As mágoas não passaram para o deputado Ricardo Barbosa (PSB). Com um discurso de quase 15 minutos durante a sessão desta terça-feira (01) na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), ele voltou a lamentar sobre a briga entre ele e o deputado de oposição Tovar Correia Lima, ocorrida na última quinta (26), em que este último afirmou que Barbosa não teria mais nenhum mandato além deste e como resposta, foi chamado de “delinquente”.

    O deputado socialista se defende das acusações que recebeu na briga com Tovar, ocorrida na última sessão da semana passada na ALPB.. “Fui acusado que eu seria o único responsabilizado por condução de uma sessão ilegítima, ou mesmo ilegal. Presidi a sessão que circunstanciava a criação do TCM e que deveria ser inserido naquele expediente durante a sessão”, ressalta.

    Ricardo Barbosa afirma que o debate sobre a criação do TCM não poderia tramitar na Casa por ser um assunto de competência do Poder Executivo. “A matéria na verdade sequer deveria ter tramitado na Casa da forma como foi conduzida, por se tratar de um assunto de competência exclusiva do Poder Executivo, trazer em forma de requerimento de indicação se nos parece um desnecessário lenitivo de prevenção a favor do Poder Executivo. A tramitação sem nenhuma eficácia prática, jamais justificaria eu ser sorrateiro em sua inclusão no expediente”, disse.

    De acordo com Barbosa, os deputados da oposição não sabem defender efetivamente seus pontos de vista na discussão sobre a implantação do TCM. “Os deputados da oposição um tanto desnorteados pela forte cobrança pública imposta por quase todos os veículos de comunicação paraibana quanto os seus cochilos afastaram-se de fundamentar suas opiniões com base na concretude dos fatos e encostaram-se em argumentações sem nenhum abrigo factual”, declarou.

    Ricardo afirma que o tucano o agrediu mesmo depois de encerrada a sessão. “O deputado passou a me confrontar ainda mais forte pessoalmente, me chamou de destemperado e estabanado, chegando a afirmar que eu não ganharia mais uma eleição. Como uma espécie de pai Dinah afirmou que essa seria a minha última eleição. As difamações e insultos se aprofundaram, afirmando que todos foram vítimas da minha convivência e citou senador Cássio Cunha Lima (PSDB), Ronaldo Cunha Lima (PSDB), Fernando Catão (conselheiro do TCE) e até o governador Ricardo Coutinho (PSB). Chegou até envolver meus pais em sua desenfreada agressão verbal” afirmou.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here