Desmentindo os boatos de que sua pré-candidatura para as eleições de 2018, repetiria os mesmo rumos de 2016, o secretário de Estado da Infraestrutura, João Azevêdo, afirmou que neste momento as circunstâncias são bem diferentes.

“Essa não é a leitura correta, nem a que se tem hoje e que está sendo tratada dentro do partido. Meu nome está posto e disposição do partido para a disputa de 2018. As circunstâncias de 2016 eram outras completamente diferente”, afirmou.

Azevêdo explicou que o cenário político, na Paraíba e no Brasil, em 2016 era outro. O apoio do governador Ricardo Coutinho (PSB) a Dilma Rousseff, trazia a possibilidade de retaliação ao governo, que, de acordo com ele, foi o que aconteceu após a concretização do Impeachment. Então, com isso, ele explicou que o governo preferiu mantê-lo na pasta para passar pelas dificuldades que viria.

“Havia o impeachment em andamento, sabíamos que iria acontecer. Existia a possibilidade do Estado ser retaliado com seus pleitos em Brasília, o que ficou confirmado posteriormente. Essa perspectiva precisava, no entendimento do partido e do governador, que nós continuássemos frente a secretaria, pois tem uma atuação muito grande. Para que nós passássemos por esse período de extrema dificuldade e tivesse continuidade. Esse foi o motivo real pelo qual houve a alteração de 2016”, explicou.

Comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here