O conteúdo da nova denúncia do procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer (PMDB) contém anotações do operador financeiro e delator Lúcio Funaro revelando que repasses feitos ao ex-deputado federal e atual vice-prefeito de João Pessoa Manoel Jr foram para que o paraibano apoiasse a candidatura de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência da Câmara Federal.

Só para sua campanha à Presidência da Câmara, entre agosto de 2014 e janeiro de 2015, ele gastou mais de R$ 30 milhões de reais. O valor foi debitado da propina devida pelo grupo J&F em razão dos financiamentos obtidos na Caixa Econômica Federal e pelo menos R$ 5.600.000,00 foram usados a fim de pagar depósitos em favor do PMDB Nacional e outros parlamentares indicados por Cunha.

Foram apreendidas diversas anotações de Lúcio Funaro no bojo da Ação Cautelar n. 4.324 com referência a pagamentos feitos a pedido de Eduardo Cunha para outros parlamentares, como destaca o trecho extraído da denúncia:

(…), “JM”, que recebeu em espécie de FUNARO R$400 mil, em São Paulo, é o codinome utilizado para ANTONIO ANDRADE, ex-Ministro da Agricultura e atual vice-governador de Minas Gerais. Ademais, nas movimentações dessa data foram entregues a “BOB” um total de R$ 800mil (…) salienta-se que “BOB/PARAÍBA” em verdade, refere-se a MANOEL JÚNIOR (Manoel Alves da Silva Júnior), atual vice-prefeito de João Pessoa/PB e deputado federal à época dos fatos.

Saiba como Lúcio Funaro teria repassado propina ao vice-prefeito de João Pessoa

A nova denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer (PMDB), revela que o nome do atual vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Jr (PMDB), aparece nas movimentações financeiras do doleiro Lúcio Funaro.

Confira na íntegra a nova denúncia de Janot clicando aqui.

De acordo com um dos trechos da denúncia, a pedido do ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), em 2014, o então deputado federal Manoel Júnior teria recebido a quantia de R$ 150 mi, sendo R$ 50 mil entregues no escritório de Funaro e R$ 100 mil por meio de três TED’s (Transferência Eletrônica Disponível).

“Conforme Relatório de Análise n” 122/2017/SPEA/PGR, o então Deputado Federal EDUARDO CUNHA atuou de forma decisiva para aprovar a alteração legislativa supracitada, utilizando-se para tanto da Emenda 376, apresentada pelo Deputado Federal Manoel Júnior (PMDB/PB). Cabe acrescentar que, assim como EDUARDO CUNHA, o Deputado Federal Manoel Júnior também foi beneficiado por doação do BANCO BTG PACTUAL S.A”, diz trecho da denúncia de Janot.

“Manoel Júnior, atual vice-prefeito de João Pessoa/PB, deputado federal à época do fato, aparece na movimentação financeira de Funaro com um dos desdobramentos da conta de EDUARDO CUNHA (“BOB”), com o codinome “bob-paraiba”, conforme veremos nas planilhas. No dia 02/10/2014, foi pago em benefício de Manoel Júnior o montante de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), entregues R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) no escritório de Lúcio Funaro, e R$ 100.000,00 (cem mil reais) foi pago por meio de três TED’s”, acrescenta a denúncia do procurador-geral.

Veja abaixo cópias dos extratos dos TEDs que teriam sido feitos por Funaro para o atual vice-prefeito de JP, conforme a denúncia de Rodrigo Janot.

Anotações de delator indicam repasses a Manoel Jr para apoiar candidatura de Cunha

Apelido dado a Manoel Júnior

“Bob Paraíba” foi a apelido recebido pelo vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Jr, na nova denúncia do procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Na nova denúncia apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (14), desta vez acusando Michel Temer dos crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa, Janot relata que os políticos denunciados arrecadaram mais de R$ 587 milhões em propina. O nome de Manoel Jr é citado nove meses na denúncia.

 

Saiba mais

Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (14) uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer, desta vez pelos crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa. O STF somente poderá analisar a denúncia contra Temer se a Câmara autorizar. Em agosto, a Câmara rejeitou a primeira denúncia de Janot contra Temer, por corrupção passiva.

Outras oito pessoas são alvos da mesma denúncia (dois ministros, dois ex-ministros, dois ex-deputados, um empresário e um executivo). De acordo com o procurador, os políticos denunciados (todos do PMDB; veja os nomes mais abaixo) arrecadaram mais de R$ 587 milhões em propina.

O empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e o executivo Ricardo Saud, ambos delatores da Operação Lava Jato, estão entre os denunciados, mas somente pelo crime de obstrução de Justiça.

Veja abaixo trechos da denúncias de Janot com citações a Manoel Júnior:

Anotações de delator indicam repasses a Manoel Jr para apoiar candidatura de Cunha

Anotações de delator indicam repasses a Manoel Jr para apoiar candidatura de Cunha

Anotações de delator indicam repasses a Manoel Jr para apoiar candidatura de Cunha

Anotações de delator indicam repasses a Manoel Jr para apoiar candidatura de Cunha

Anotações de delator indicam repasses a Manoel Jr para apoiar candidatura de Cunha

Anotações de delator indicam repasses a Manoel Jr para apoiar candidatura de Cunha

Comente

Camara Municipal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here