Advogado que defendeu Cássio da cassação vê indícios para o impeachment de Dilma

    0

    Dirigentes do PSDB recuaram no pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e agora aguardam ação apresentada em 2014 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A questão gera opiniões divergentes entre juristas.

    Um dos conselheiros do PSDB, filho de um ministro do Supremo Tribunal Federal, primo do governador Geraldo Alckmin e com banca instalada há décadas em Brasília, o advogado José Eduardo Alckmin, defende cautela para tratar do assunto.

    “Pode levar à cassação e à perda do diploma, dela e do vice, mas caberá à Câmara dos Deputados avaliar se os indícios são suficientes para caracterizar conduta ilícita”, observa Eduardo Alckmin, que chegou a defender o senador paraibano Cássio Cunha Lima (PSDB) quando do processo que culminou com a cassação do tucano do Palácio da Redenção.

    Já o advogado Pierpaolo Bottini, que atua na defesa da operação Lava Jato, sustenta que não há, em tudo o que se denuncia e se publica a respeito da presidente Dilma Rousseff, um único argumento que torne possível levar adiante seu impeachment. “Se um governante erra, deve ser punido na eleição. O direito penal não serve para direcionar política, mas para reprimir delitos”.

    As informações são do portal Brasil 247.

     

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here